Método Kiber

Dezembro 04 2010

 

            O medo trata-se de uma emoção natural do ser humano. O medo actua como um aliado, protegendo-nos e funcionando como um sinalizador para precaução contra perigos reais. Nas pesquisas e estudos da Psicologia, encontraremos inúmeras conceituações sobre esta emoção, entre elas, a de que o medo é resultante de uma ameaça à rotina da existência.

  

            A fobia é uma espécie de medo acentuado, excessivo, desmedido, na presença ou previsão de encontro com o objecto ou situação que causa ansiedade em um grau elevadíssimo.

 

            As pessoas que sofrem de Hematofobia têm medo de ver sangue exposto. E costumam desmaiar ao ver uma simples gota de sangue, próprio ou de terceiros. E ao simples facto de ter uma hemorragia e morrer, pois o medo paralisa o coração imediatamente. Estes indivíduos são incapazes de fazer uma simples retirada de sangue para exames.

 

            Há muita gente que sofre desta fobia. 

 

            Vejamos a origem do trauma de uma hematofóbica:

            “Eu confesso que morro de medo de sangue, não posso ver que vomito ou desmaio. Eu me lembro quando tinha 8 aninhos, cai quando estava correndo e ralei a minha perna e daí comecei a chorar, quando vi aquele sangue todo, fiquei morrendo de medo. Hoje já consigo me controlar, mas antes era o caos. Alguém já passou por algo parecido?”

 

            O próprio actor, Edward Cullen, afirmou ter esta fobia.

 

            Em Lua Vermelha (SIC), Mafalda Castro é Isabel Oliveira, uma humana que se apaixona pelo colega de escola Afonso Azevedo (Rui Porto Nunes) que é vampiro.

 

            Mas a verdade é que, longe das câmaras, a actriz, de 20 anos, afasta-se e muito do universo sangrento da novela da SIC. À Notícias TV, Mafalda confessou não suportar ver sangue. “O sangue é uma coisa que me perturba imenso. Sou muito mariquinhas! Não posso, nem ver uma ferida, faz-me muita impressão.”

 

            E nem a idade tem ajudado a actriz a ultrapassar o medo. “Houve uma vez, já tinha eu os meus 20 anos, que fui parar ao hospital… Estava com a minha mãe e os médicos lembraram-se de me tirar sangue, eu avisei que não ia correr bem e lembro-me de ter desatado a chorar… sim, sou muito fraquinha. Já tirei sangue duas vezes e morri de medo. Olho sempre para o lado, claro”, admitiu a nova estrela da SIC, entre risos.

 

            Já Rui Porto Nunes, que encarna o papel de vampiro, assume-se menos medroso. “Já tive momentos complicados… (risos) Quando tinha 15 anos parti a cabeça… mas o sangue não é algo que me impressione”. 

 

            O que caracteriza essa fobia é o facto de que a pessoa, ao entrar em contacto com sangue, agulhas ou feridas e mutilações, tem a sensação de uma intensa náusea, muito mais forte do que medo e ansiedade. Em seguida, a pessoa pode, inclusive, ter uma síncope (desmaio).

 

            Essa é uma fobia que foge bastante ao padrão habitual. Um dos aspectos é uma resposta fisiológica diferenciada das demais fobias. Em vez de os batimentos cardíacos se acelerarem, as pessoas com a fobia de sangue e ferimentos registam, após um breve período de aceleração, uma redução dos batimentos que pode levar a um desmaio pela diminuição da oxigenação do cérebro (hipoxia).

 

PROF. KIBER SITHERC

 

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 17:34
Tags:

Meu Deus, eu sou hematofobica e acho que a explicação da pesquisa é muito boa, mas acho que não precisava dessas imagens... Muitas dessas pessoas que pesquisaram são e estão procurando saber mais, quase desmaiei só de passar por elas kkkk'
Laura a 20 de Agosto de 2016 às 07:42

Só temos uma vida, por isso, teremos que vivê-la intensamente de uma maneira agradável e positiva. Faça tudo o que estiver ao seu alcance, antes que seja demasiado tarde! Pensamento Positivo! kiber-sitherc@sapo.pt

contador gratis
Interactividade
Dezembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

13
15
18

20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


pesquisar
 
blogs SAPO