Método Kiber

Novembro 16 2010

 

            O espinafre (Spinacia oleracea) é uma erva rasteira originária do centro e sudoeste da Ásia, pertencente à família das amarantáceas, cujas folhas são comestíveis. É uma planta anual (raramente bianual), que cresce até cerca de 30 cm de altura. O espinafre pode sobreviver durante o inverno em zonas temperadas. As folhas são alternadas, simples, de ovaladas a triangulares na base, muito variáveis em tamanho, desde 2 – 30 cm de extensão e 1 – 15 cm de largura, com folhas maiores na base da planta e menores no topo.

 

            Em inglês, essa verdura verde-escura, é conhecida como spinach e em espanhol, espinaca. Já os franceses a conhecem como épinard, os alemães como spinat e os italianos, spinaci.

 

            As histórias do espinafre estão espalhadas pelo mundo. Acredita-se que foi na Pérsia (actual Irão) que ele foi cultivado pela primeira vez. No século VII o rei do Nepal manda algumas de suas sementes como presente para a China. Quatrocentos anos depois, os mouros invadem a Espanha e introduzem o plantio na região e daí em diante os espanhóis se encarregam de espalhar as sementes no Novo Continente. Tanto que os ingleses chamam o espinafre de The spanish vegetable (o vegetal espanhol).

 

            Muito popular na Europa, o espinafre era refogado com açúcar e consumido como sobremesa. O seu sabor conquistou povos e uma mulher em especial do século XVI: Catherine de Médici, que deixou Florença para se casar com o rei Henrique II, da França. A rainha gostava tanto de espinafre, que os cozinheiros do palácio foram obrigados a inventar diferentes pratos com a hortaliça. Assim, nasceu o termo a la Florentini para designar alguns pratos que levam o espinafre como ingrediente principal. Já no século XX, a verdura começa a fazer sucesso entre as crianças e os adultos aficionados por quadrinhos. Em 1929, E. C. Segar cria o marinheiro Popeye, que come uma lata de espinafre para ganhar força e proteger a sua namorada Olívia do resmungão Brutus.

 

            Em 2001, foi tese de um estudo sobre cegueira. Segundo os pesquisadores do Oak Ridge National Laboratories, no Tennesse (EUA), a proteína do espinafre é capaz de absorver luz. Retirada do vegetal e inserida nas células nervosas da retina, essa substância pode devolver parcialmente a visão.

 

            Existem dois tipos dessa erva rasteira: o asiático e o da Nova Zelândia. O primeiro pertence à família Chenopodiaceae - mesma da beterraba e da acelga - além de ser muito consumido na Europa e nos EUA. Já o segundo é da família Aizoaceae, tem folhas triangulares e pode ser facilmente encontrado no Brasil devido à sua adaptação ao clima tropical. Além dessas duas espécies, existem outras duas que, segundo alguns registos históricos, eram cultivadas na África. Trazida pelos colonizadores portugueses, essa hortaliça contém muita água e por isso reduz muito depois de ir para a panela. Normalmente, 1 kg de espinafre refogado serve em média quatro pessoas. Seu plantio no país vai de Março a Julho, mas nas regiões onde o calor é mais ameno, é possível cultivá-lo durante todo o ano.

 

            O autor de “A Saúde pelos alimentos”, Dr. Ernest Schneider, sugere que entre todas as hortaliças, o espinafre é a melhor por sua quantidade de proteínas, minerais e vitaminas. "Os árabes sabiam que o espinafre é bom para o fígado". Além de óptimo laxante e um excelente antioxidante, é indicado para pessoas anémicas ou desnutridas devido ao seu alto teor de ferro, porém com ressalvas. Segundo o médico Dr. Eric Slywitch, é preciso lembrar que existem diversos tipos de anemia. "Não devemos esquecer que anemia nem sempre é decorrente de falta de ferro. Toda anemia deve ser investigada para saber qual é a sua causa, e o tratamento deve ser personalizado. O espinafre protege a pele, o aparelho digestivo e o sistema nervoso, mas por ser rico em um ácido conhecido como oxálico, não deve ser consumido em grandes quantidades. Esse ácido e suas folhas verde-escuras indicam a presença de cálcio. "Para os vegetarianos isso é fundamental, pois dependendo da dieta, acabam sendo a principal fonte de cálcio", afirma o Dr. Slywitch. Apesar da excelente fonte de cálcio, o médico alerta que o alimento não é indicado em tratamento de osteoporose.

 

            O espinafre é riquíssimo em vitaminas A, B, C e H, contendo ainda potássio, sódio, cálcio, magnésio e ferro.

            Também contém quercitina, um fitoquímico com propriedades antioxidantes, vitamina K, magnésio e manganésio.

 

            É indicado para pessoas com tendência a hemorragias, diabéticos, nervosos, portadores de vermes intestinais e doenças da vista, o espinafre deve ser comido cru, em saladas ou bebido em forma de suco.

 

            Contra-indicação: como é laxativo e estimulante da secreção gástrica, não é aconselhado para pessoas com gastrite ou úlcera estomacal.

            Propriedades medicinais: diurético, laxante, tónico.

 

            O espinafre é uma hortaliça com enorme valor fisiológico e nutritivo, bastante rico em vitaminas, minerais em forma de sais, clorofila, oligoelementos e fermentos. 100g de espinafre contêm 93 g de água; 2,3 g de proteínas; 0,3 g de gordura e 1,8 g de hidratos de carbono e apenas umas 20 calorias. Possui poucas calorias e por isso é recomendado em regimes de emagrecimento.

 

PROF. KIBER SITHERC 

 

 

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 22:46

Só temos uma vida, por isso, teremos que vivê-la intensamente de uma maneira agradável e positiva. Faça tudo o que estiver ao seu alcance, antes que seja demasiado tarde! Pensamento Positivo! kiber-sitherc@sapo.pt

contador gratis
Interactividade
Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12
13

17
18

21
22
25
26
27

28
30


pesquisar
 
blogs SAPO