Método Kiber

Novembro 09 2010

 

            O medo do escuro é uma fobia que se chama: Escotofobia.

            É normal a criança ter medo do escuro.

 

            O medo é uma reação de proteção do organismo que prepara o nosso corpo para fugir de situações de perigo. O medo do escuro faz parte do desenvolvimento infantil e começa aos três anos de idade desaparecendo por volta dos seis anos.

 

            Antes dessa fase, porém, a criança começa a construir o seu próprio mundo com muita magia e seres imaginários que podem brincar com ela, fazendo conhecer os mais variados sentimentos, incluindo o medo.

 

            E é justamente a hora de dormir o momento onde a criança se sente desprotegida, pois tem que se “desligar” da presença dos pais e da segurança que os adultos oferecem. Então, quando a luz se apaga, as crianças não enxergam nada, o que é real desaparece e a escuridão esconde os perigos de sua própria imaginação.

 

            Um simples ruído pode perfeitamente ser o monstro que irá puxar seus pés, assim como a sombra de um galho de árvore transforma-se em um fantasma.

 

            Nessas ocasiões, procure deixar a lâmpada da casa de banho ou do corredor acesa até que ela durma. Para que a criança se sinta segura, deixe a porta aberta ou dê algum brinquedo que ela possa abraçar. A presença dos pais ou de alguém que lhe transmita segurança na hora de dormir também é muito importante. Se preferir, leve a criança para dormir na cama dos pais, porém, de forma que não seja um hábito corriqueiro, para que não se acostume.

 

            Além da fantasia, outra causa que pode levar ao medo do escuro é a mudança de casa. O quarto novo é um desconhecido que pode guardar surpresas como os temíveis monstros. A criança poderia não ter medo na casa antiga, pois conhecia o seu quarto canto por canto.

 

            Para lidar com esse medo os pais devem conversar com a criança. Compreendendo o porque da criança ter medo do escuro, fica mais fácil explicar que a sombra na parede não é um fantasma, mas a sombra do galho da árvore que está do lado de fora.

 

            Um erro do adulto é fazer a criança enfrentar o medo contra a sua vontade. Fazê-la expressar o medo que sente deixa a criança segura para enfrentar sua própria fantasia.

 

            Segredinhos para acabar com os monstros - Algumas brincadeiras ajudam a criança a dominar o medo do escuro como identificar as sombras na parede feitas pelas mãos ou as que aparecem no quarto, ou então adivinhar qual é o som no escuro e de onde vem.

 

            Quando o medo aparecer é bom deixar um foco luz aceso para que a criança se sinta mais segura e mais para frente apague esse foco, mas deixe uma lanterna sempre no mesmo lugar para que a criança possa acendê-la quando sentir medo. Bichos de pelúcia, travesseiros e brinquedos preferidos podem dar segurança e aconchego na hora de dormir.

 

            Como um pai quer que sua criança não tema seu quarto no escuro se tem uma bruxa do lado de fora da janela, um Bicho Papão no armário e um fantasma debaixo da cama?

 

            Se não houvesse monstros, o medo do escuro ainda seria observado? Sim! O escuro guarda perigos reais.

 

            É no escuro que o ladrão se esconde para surpreender sua a vítima. É no escuro que pisamos num vidro partido. É no escuro que batemos a cabeça na parede!

 

            Mas temos que lembrar que o escuro também traz benefícios. Mas é através do escuro que nos traz a tranquilidade de uma boa noite de sono.

 

            O medo do escuro só é vencido com o tempo. A criança se desenvolve e aprende a diferenciar o medo real do imaginário. Assim a sombra na parede deixa de ser a garra do monstro para se tornar um galho de árvore. Que na caverna escura pode não ter um fantasma, mas quem sabe um urso feroz.

 

            Então deixamos o medo inconsciente de lado para ter apenas um receio respeitoso do escuro.

 

            O problema é que nem todas as pessoas conseguem se livrar do medo de escuro. Passam a vida com essa fobia que se denomina "Escotofobia".

 

            Essas pessoas costumam entrar em desespero frente a um ambiente sem iluminação passando desde paralisia a ataques histéricos. São indivíduos que necessitam de tratamento psicológico para reduzir o grau do medo e, de preferência, vencê-lo.

 

            Quando o medo do escuro está numa situação normal, no caso de uma criança por exemplo, o medo pode ser vencido com algumas técnicas simples.

 

            Primeiro, não corte de imediato a iluminação. Deixe sempre uma luz ligada por perto, mas nunca a lâmpada principal do quarto. Uma luz no corredor, por exemplo. Também é bom deixa-la com um brinquedo que se possa abraçar. Da uma sensação de segurança maior.

 

            Se ela se queixar de alguma coisa, tipo um monstro debaixo da cama, mostre a ela que não tem nada lá... Abra o guarda-roupa junto dela para que veja que não existe o Bicho papão por lá...

 

            Sombras também podem ser assustadoras. Mostre a ela que objectos estão projectando as sombras no quarto... Até brinque fazendo sombras com as mãos. Isso tudo ajuda a criança a relaxar e conhecer melhor o seu ambiente, a mesma técnica se poderá aplicar ao adulto.

 

PROF. KIBER SITHERC

 

 

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 00:07
Tags:

Só temos uma vida, por isso, teremos que vivê-la intensamente de uma maneira agradável e positiva. Faça tudo o que estiver ao seu alcance, antes que seja demasiado tarde! Pensamento Positivo! kiber-sitherc@sapo.pt

contador gratis
Interactividade
Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12
13

17
18

21
22
25
26
27

28
30


pesquisar
 
blogs SAPO