Método Kiber

Outubro 07 2010

 

            A azeitona fruto da oliveira é constituída basicamente por uma pele exterior, de composição celulósica que contem produtos aromáticos e corantes naturais, uma polpa, onde se encontra a grande parte dos ácidos gordos e um caroço que encerra substâncias nutritivas.

 

            É rica em ácidos gordos monoinsaturados e possui diversos minerais na sua composição como o cálcio, fósforo, potássio, magnésio, enxofre, cloro, ferro, cobre, manganésio e sódio, e vitaminas como a niacina, riboflavina, tiamina, Vitamina B6, Vitamina B12, Vitamina E e carotenóides.

 

            Além da gordura monoinsaturada, com todos os seus benefícios, a azeitona é rica em polifenóis (substâncias químicas vegetais que são potentes anti-oxidantes). Ao prevenir as oxidações biológicas, os polifenóis reduzem a formação de radicais livres. Estes, através do dano celular que produzem, são os grandes vilões do envelhecimento e das doenças crónico-degenerativas, como o cancro.

 

            O principal defeito nutricional da azeitona está inerente ao seu método de conservação. Utilizam-se salmouras (água com sal) para aumentar a duração do produto. Tal processo, aumenta muito o teor em sódio da azeitona. Daí a azeitona ter uma conotação negativa.

 

            A azeitona faz bem e trás benefícios à saúde idênticos ao azeite, mas como em tudo na vida, a moderação é a palavra de ordem. Não se deve exagerar o consumo devido ao seu alto teor de sódio, proveniente do método de conservação.

 

            É muito utilizada em diversos pratos da culinária, principalmente, dos países mediterrâneos (Portugal, Espanha, Itália e Grécia).

 

            Propriedades medicinais: adstringente, anti-reumática, anti-séptica, anti-álgica, antiasmática, anti-inflamatória, anti-lítica, broncodilatadora, colagoga, depurativa, diurética, emoliente, espasmolítica, hipocolesterogênica, hipoglicemiante, hipotensora, laxante, aromática, nutritiva, restauradora, vermífuga, vulnerária.

 

            Indicações: asma, algias, colite, constipação, enterite, erupções cutâneas, estomatite, gastrite, gota, hipertensão arterial, pedras nos rins, queimaduras, toxinas no sangue, reumatismo, vermes intestinais.

 

            Cinco conselhos e cinco dicas para as integrar numa alimentação saudável

Aperitivo ou acompanhamento? Dê um toque fresco e aromático às suas refeições e tire todos os benefícios dos seus ácidos gordos mono-insaturados.

Estes são conhecidos como “gorduras boas”, que ajudam a reduzir o “mau” colesterol (LDL) e manter o “bom” (HDL)!

 

            Integradas numa alimentação nutricional as azeitonas são ainda ricas em água e fibras, que ajudam a manter o organismo hidratado.

            Embora façam parte da gastronomia portuguesa há milhares de anos, a maioria das pessoas ainda não descobriu as vantagens de ter as azeitonas por perto:

 

            1 – Sabia que as azeitonas são dos aperitivos mais saudáveis? Seis azeitonas (com 23 gramas de peso) têm menos de metade das calorias de igual peso de amendoins ou cajus (54 kcal. vs. 131 kcal. e 140 kcal., respectivamente).

 

            2 – Conservadas em salmoura (água e sal), as azeitonas são uma alternativa saudável para temperar, em substituição do sal, vilão da hipertensão.

            Pode-se ainda optar pelas conservadas em azeite, com um teor de sal bastante mais reduzido do que as preservadas em salmoura, dando assim um tempero especial e saudável às refeições.

 

            3 – Adicionar azeitonas às saladas é sinónimo de lhes juntar também muitos antioxidantes (sobretudo vitamina E), que protegem o organismo do ataque dos radicais livres.

 

            4 – Livres de “mau” colesterol e ricas em aromas, as azeitonas podem substituir outros condimentos e molhos nos guisados, estufados…

 

            5 – Integradas numa alimentação nutricional as azeitonas são ainda ricas em água e fibras, que contribuem para o bom funcionamento do aparelho digestivo.

           

            Para quem gosta de azeitona, uma boa notícia ela ajuda no combate do mau colesterol. O colesterol total é composto por dois tipos, o HDL, conhecido como colesterol bom e necessário para o corpo, e o LDL, o vilão que precisa ser controlado, pois pode causar o entupimento de veias e artérias, levando ao infarto de miocárdio e derrame. Uma forma de alterar o nível ruim do colesterol é consumir a azeitona e o azeite de oliva Extra Virgem, dois exemplos saborosos e nutritivos. 

 

            Em substituição a gordura saturada, considerada ruim para a saúde, presente em produtos de origem animal, como manteigas, leite integral e derivados, carnes gordas e frituras em geral, entra a azeitona, e o azeite de oliva Extra Virgem, dois alimentos admirados na cozinha, que enriquecem massas e saladas. De acordo com a nutricionista Fabiane Veltrini, “as azeitonas têm alto teor de gorduras monoinsaturadas que ajudam combater o nível de colesterol ruim no sangue, e são fonte de vitaminas A, e E, minerais, como cálcio, ferro, e fósforo. Além de evitar o envelhecimento precoce, já que possui polifenois que evitam a formação de radicais livres”, explica.

 

            As moléculas de polifenois neutralizam os radicais livres, assim como a vitamina C do sumo de limão evita que a maçã descascada escureça. Por isso, as azeitonas devem fazer parte da alimentação ao longo de toda a vida. A azeitona também possui água e fibra alimentar, importante para o funcionamento do intestino.

 

            Segundo Fabiane “o ideal é consumir em média de 5 a 7 azeitonas por dia, ou 1 colher de sobremesa de azeite de oliva Extra Virgem, para diminuir o nível de colesterol ruim”, diz.

 

            As azeitonas verdes são adstringentes; porém as pretas têm um poder laxativo.

            As azeitonas são contra-indicadas na gravidez.

 

            Quando usadas moderadamente, nunca ultrapassar mais que oito azeitonas, são muito benéficas nas saladas, e em todos os pratos vegetarianos, poderá em vários pratos substituir as proteínas da carne.

            O que realmente poderá prejudicar é o seu abuso, não se deve comer azeitonas como quem come tremoços.

 

PROF. KIBER SITHERC 

 

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 21:57

Eu sou viciada
hoje Ja comi umas 30
Lídia a 18 de Novembro de 2011 às 21:48

Amei o documentário, serviu muitíssimo! Amo tanto azeitonas quanto o azeite, e fiquei realmente muito feliz em saber que sempre estive consumindo a quantidade certa! Abraços a todos e que Deus os abençoe muito!
Raíssa a 1 de Setembro de 2012 às 01:13

Pois é, gente!!!A materia mais completa q já li sobre azeitonas!!!
Tenho cirurgia bariatrica há 6 anos e pelo menos no ultimo ano, consumi muito, demasiadamente azeitonas verdes (com caroço, minha preferida). Coisa de 1 kg cada 2 dias!!!
Sinto uma enorme satisfação ao consumi-las...acho q os componentes dela, descritos na materia, me causa uma imensa satisfação (devo estar com uma carencia muito grande deles!)
Entendi q o maior problema é qto a conservação mas, como me livrar desse "VICIO"?
Rita Azevedo a 28 de Dezembro de 2012 às 15:58

Isso que você tem se chama GORDICE, não tem nada de carência, não.
HUhehuehue BR a 24 de Abril de 2013 às 21:47

Adorei a informação pois adoroooooo azeitonas
Anónimo a 28 de Março de 2013 às 02:02

adorei bastante dessa informaçao e tomarei muita precaucao. e farei bom proveito
Anónimo a 13 de Julho de 2014 às 15:28

Obrigado pelo post. Gostei de saber dos seus benefícios...
Wagner S. a 28 de Julho de 2014 às 02:08

Só temos uma vida, por isso, teremos que vivê-la intensamente de uma maneira agradável e positiva. Faça tudo o que estiver ao seu alcance, antes que seja demasiado tarde! Pensamento Positivo! kiber-sitherc@sapo.pt

contador gratis
Interactividade
Outubro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
16

17
18
19
20
22

24

31


Pesquisar
 
blogs SAPO