Método Kiber

Outubro 19 2009

 

             A todos nos pode bater à porta. Todos nós somos vulneráveis ao infortúnio, ou não seriamos nós humanos?! Os antigos judeus achavam que as calamidades só aconteciam aos pecadores, o infortúnio seria enviado por Deus para castigar os transgressores. O Mestre advertiu os judeus que nem sempre era assim e que as vítimas da torre de Siloé que se desmoronou, não foram mais culpados do que todos os que habitavam em Jerusalém.
            As desgraças e os flagelos que nos causaram feridas, engendram a dor. Se mexermos nas feridas elas não saram, são traumas dolorosos que nos magoam, se pensarmos ou meditarmos no passado doloroso mais se intensifica a dor. Devemos aprender com a natureza, todos os seres vivos fogem do mal-estar. Temos que nos afastar de quem nos causa a dor.  Temos que ser pacientes para que as feridas se cicatrizem e para isso temos que esperar pelo tempo, só ele tem o poder de cicatrizar e de fazer esquecer a dor. Se voltarmos a arranhar as crostas, temos recaídas, é natural que elas sangrem e voltemos ao passado doloroso.
            As calamidades são subjectivas, há quem as suporta mais facilmente que outros, tudo isso, devido à nossa espiritualidade e força mental. Se as reduzirmos a uma pequenez insignificante teremos muito mais força interior. Se nos convencermos que os dias adversos passarão brevemente, o infortúnio desaparece nas nossas redondezas seguramente.  
A vida poderá ser um fardo insuportável, quando você se agarra aos desgostos antigos, carregando todas as decepções do passado e quando as acrescenta às do presente, então sim, você acaba por vacilar e chegar ao ponto de ruptura.
            Esse estado de sofrimento poderá ser mais intensificado se usar determinadas expressões negativas: “Viver é sofrer”, “Não vejo saída”, “Estou na fossa”. Se usar expressões metafóricas a sua dor é mais intensificada.
            Também há expressões positivas que nos podem modificar toda a nossa fisiologia e atitude mental.          Tais como: “Estou a melhorar dia após dia”, “Eu consigo”, “Estou plenamente feliz”, e muitas outras expressões poderá acrescentar.
            “Não há grito de dor/ que no futuro/ não tenha no fim/ por eco uma alegria”.
            Estas palavras do poeta Ramón de Campoamor, foram as mais positivas e esperançosas que já alguma vez encontrei. E estas palavras sempre me ajudaram nos momentos mais difíceis.
            Poderá procurar palavras-chave que o poderá abrir todos os seus recursos que estarão ao seu alcance. As palavras-chave que poderá usar são infinitas, poderosas e simples. O nosso cérebro aceita melhor coisas simples do que a complexidade. Exemplos de palavras-chave: quero, posso, faço, lembro-me; alegria, força, energia, esperança, paz. Lembre-se que há sempre uma palavra-chave, para todos os infortúnios da vida, que abre sempre uma porta para uma saída.
            Quando se fecha uma porta, abre-se outra. A porta do futuro está à nossa espera, como a mulher de Lot, não deveremos olhar para trás.
            Todos nós temos exemplos de alguém que apesar de se confrontarem com o infortúnio, ultrapassaram todas as adversidades e até se tornaram mais fortes e imunes a toda a fatalidade. Enquanto, outros se desmoronaram à simples brisa de uma simples calamidade. Lembre-se que há sempre uma alternativa e uma esperança, quando o infortúnio nos bate à porta. A nossa pequenez para enfrentar os problemas da vida poderão ser colossais. A natureza nos fez maiores do que as nossas dificuldades.
 
PELO PROF. KIBER SITHERC
 
 
                
                   Há sempre uma saída!
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 20:18

Só temos uma vida, por isso, teremos que vivê-la intensamente de uma maneira agradável e positiva. Faça tudo o que estiver ao seu alcance, antes que seja demasiado tarde! Pensamento Positivo! kiber-sitherc@sapo.pt

contador gratis
Interactividade
Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
20
21
22
23
24

26
27
28
29
31


pesquisar
 
blogs SAPO