Método Kiber

Março 05 2010

 

            Dizem que o café é a bebida mais consumida do mundo. Existem várias lendas sobre a origem do café, vejamos as duas que são as mais conhecidas:
 
                Entre os árabes conta-se que, há muitos anos atrás, Alá, pela voz do profeta Maomé, lhes proibiu o uso de vinho. Eles obedeceram, mas andavam tristes e melancólicos, sem terem uma bebida reconfortante.
            Certo dia de Verão, um pastor ia pelo campo com o seu rebanho e, tanto ele como os seus animais, caminhavam com indolência por estar um calor sufocante.
            De repente, a paisagem transformou-se e apareceu um vale cheio de arbustos muito verdes.
            O rebanho, para matar a fome e a sede, devorou, avidamente, aquela verdura. Qual não foi o espanto do pastor, quando, pouco tempo depois, viu os animais a darem cambalhotas e a correrem de um lado para o outro, cheios de vida.
            Assombrado, o pastor apanhou um punhado de grãos dos arbustos e foi contar a um velho mago o que acontecera.
            Ele ferveu os grãos em água e obteve um líquido aromático, a que chamaram: -  Café – que os dois homens beberam, sentindo logo uma alegre sensação de vivacidade.
            Acharam então que aquilo tinha sido uma dádiva do seu deus para os compensar da proibição de beberem vinho.
 
            Diz uma lenda que, num dado momento do Século III d.C. na região da actual Etiópia, um jovem pastor de cabras da cidade de Kaffa chamado Kaldi ficou intrigado com a vitalidade das suas cabras ao comerem os frutos vermelhos de um arbusto nas montanhas abissínias. Ficavam frenéticas e saltitantes conseguindo percorrer longas distâncias sem demonstrar sinais de cansaço. Kaldi passou a alimentar as suas cabras com os frutos vermelhos e, passados alguns dias, também ele quis experimentar. O pastor gostou do efeito estimulante que os frutos lhe proporcionaram pois sentia-se alegre e bem-disposto, conseguindo resistir ao sono.
            Kaldi contou a sua descoberta aos monges do mosteiro local mas estes não reagiram de forma favorável e atearam fogo aos frutos. No entanto, o aroma exalado pelos frutos torrados levou-os a reconsiderar e a recolher os frutos das cinzas. Esmagaram os grãos na água e fizeram uma infusão, descobrindo que este preparado os mantinha acordados durante os períodos de reza e de meditação. As notícias dos maravilhosos poderes desta nova bebida espalharam-se de mosteiro em mosteiro e a notícia não demorou a romper fronteiras.
 
            O café é o produto em que o Brasil tem maior destaque internacional, é o país que produz mais café em todo o mundo. Em terras tupiniquins é produzido um terço do café consumido no mundo. Em média, a produção anual é de 37 milhões de sacas de 60 quilos. Mas esse número depende muito da colheita. Em 2002, por exemplo, a colheita foi de 48 milhões de sacas, o que possibilitou um stock de grãos mínimo para dar conta da demanda, que vem crescendo a cada ano. Os brasileiros são campeões na produção, mas também querem avançar em direcção ao pódio no consumo. Enquanto o mundo aumenta o consumo em 1,5% ao ano, o País vai em um ritmo mais forte. A expectativa é de que o mercado interno brasileiro beba o equivalente a 15,8 milhões de sacas. O maior mercado consumidor é o americano, com 18 milhões, mas com crescimento de apenas 1,5%. Essa perspectiva favorável adoça o sonho da indústria cafeeira brasileira. A Associação Brasileira da Indústria do Café (ABIC) planeja chegar a 2010 como o maior mercado do mundo, com 21 milhões de sacas.
 
            “Faremos um grande esforço de marketing, pois temos de desmistificar a ideia de que café faz mal à saúde. Além disso, lançamos a campanha Adopte uma Escola, em que as empresas fornecerão café com leite para as crianças. É assim que se constrói o consumidor do futuro”, afirmou o presidente da entidade, Guivan Bueno.
 
            O site da ABIC ainda revela o seguinte:
 
            “Uma xícara pequena de café, pela manhã, é o suficiente para deixar o cérebro alerta.
            Com base em constatações científicas de que o café aumenta a capacidade intelectual e a atenção, melhorando a absorção de ideias, muitas escolas brasileiras incluíram o café na merenda escolar, uma experiência pioneira que melhora significativamente o desempenho de crianças e adolescentes na sala de aula. No Estado de Minas Gerais, o uso do café na merenda escolar de todos os alunos já é estabelecido em lei. Porém, a ingestão diária de café por crianças deve respeitar o limite de moderação estabelecido por médicos especialistas de acordo com a faixa etária. A dose sugerida para crianças entre seis e 10 anos de idade é de três xícaras por dia.
            O Programa Café na Merenda, Saúde na Escola criado pela ABIC em 2006 tem como objectivos: desenvolver hábitos de alimentação saudável; divulgar os benefícios à actividade intelectual, ao aprendizado escolar e prevenção de doenças; desenvolver pesquisa científica correlacionando o consumo de café com leite e a melhoria do aprendizado escolar; estimular o hábito diário de consumir café com leite entre estudantes e contribuir para a formação de futuros consumidores”.
 
            O café não beneficia a inteligência, a cafeína é um alcalóide que está presente no café. E como qualquer droga pode provocar um bem-estar, ou uma euforia mas de curta duração. O café deve ser tomado com moderação pelos adultos, para que não fiquem viciados, não se deve dar às crianças, pois elas têm tempo de fazer as suas asneiras alimentares no futuro. Procurar as crianças nas escolas e dar cafeína no leite delas para que se tornem “futuros consumidores” de café no futuro, para enriquecer ainda mais a industria do café é lamentável o que se está a passar no Brasil!
            Seria mais saudável que lhes dessem leite, mas isso não iria ajudar a ABIC.
 
            A cafeína possui efeitos terapêuticos importantes como dilatação dos brônquios, estimulação do coração e aumento da excreção urinária. No cérebro, ela alivia dores de cabeça. Ela possui também efeitos prejudiciais, provoca aumento da secreção gástrica, agravando  sintomas de gastrite e úlcera.
            A droga também possui efeitos psico-estimulantes. Em doses moderadas (85 a 250mg), os usuários relatam uma sensação de bem-estar, melhora de atenção e pensamento. Porém em doses elevadas (acima de 250mg), surgem efeitos de nervosismo, inquietação, insónia e tremores. Doses muito altas podem produzir convulsões, delírios e aumento da frequência cardíaca.
            O uso crónico dessa substância (350mg ao dia) provoca dependência física e tolerância à droga. Na retirada da droga pode aparecer uma síndrome de abstinência caracterizada por dores de cabeça, nervosismo, irritação, ansiedade e insónia.
 
 
              O melhor prato não é aquele que reúne os ingredientes mais saborosos, mas o que associa a melhor composição de nutrientes. Há alimentos que quando são misturados tornam-se em ligações alimentares perigosas.
 
            Café com leite é uma péssima escolha para o seu organismo. Pois essa mistura de associar café ao leite (galão), pode provocar hiperacidez (azia).
Os nutrientes do leite: ferro, vitamina C e cálcio, perde as suas propriedades quando misturado com café. A cafeína dificulta a absorção desses três nutrientes. Se tiver que tomar, opte por uma das duas bebidas.
            Muitos nutricionistas estão de acordo de que o café com leite é uma má escolha, como por exemplo Cláudia Juzwuiak, Elizabeth Queiroz, Daniela Jobst e muitos outros nutricionistas pelo Mundo.
 
PROF. KIBER SITHERC
 
O Brasil poderá tornar-se o maior consumidor de cafeína entre as crianças do Mundo!
 
kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 16:12

Só temos uma vida, por isso, teremos que vivê-la intensamente de uma maneira agradável e positiva. Faça tudo o que estiver ao seu alcance, antes que seja demasiado tarde! Pensamento Positivo! kiber-sitherc@sapo.pt

contador gratis
Interactividade
Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

17
19

21
22
23
25
26
27

28
29
30


pesquisar
 
blogs SAPO