Método Kiber

Março 03 2010

 

            Confrontada com a falta de gel desinfectante em algumas escolas, a ministra da Saúde, Ana Jorge, lembrou que o tradicional sabão é eficaz para lavar as mãos e prevenir o contágio do vírus da gripe A. A ministra respondeu que o país tem milhares de escolas e que se “em alguma escola mais pequenina” não houver gel desinfectante é lavar as mãos, o que pode ser feito “com sabão azul e branco”. Então, os especialistas da saúde começaram a recomendar.
 
            Afinal, bastam 60 cêntimos para prevenir o contágio com o vírus da gripe A (H1N1). O tradicional sabão azul e branco é tão eficaz na lavagem das mãos como o gel desinfectante, disse ontem a própria ministra da Saúde. Quando confrontada com a falta de gel desinfectante em algumas escolas, Ana Jorge realçou que "o mais importante é lavar as mãos e isso pode ser feito com água e sabão azul e branco".
 
            Ou seja, um produto que se pode comprar em qualquer supermercado e que custa cerca de 60 cêntimos - em comparação, uma embalagem pequena de gel de limpeza de mãos de marca branca não fica por menos de 1,50 euros.
 
            Para o presidente da Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública, Mário Durval, este é um alerta oportuno, que só peca por tardio: "Pôs as coisas ao nível a que devem estar, porque para impedir o contágio com o vírus da gripe as pessoas precisam de lavar as mãos e não de uma desinfecção hospitalar, com os produtos caríssimos que têm sido levadas a comprar". O especialista entende que o gel é uma solução para quando não há condições para lavar as mãos e compreende que o sabonete líquido é uma opção mais cómoda, mas realça que é importante não afastar as soluções simples e baratas.
 
            Segundo explicou ao DN Rodrigo Pinto, da Solvena - empresa que produz sabão azul e branco na sua fábrica do Barreiro e vende duas toneladas por ano só em Portugal - o produto é composto "por gordura saponificada, água e silicatos". Mário Durval lembra que "antigamente, este sabão era usado para desinfectar blocos operatórios" e é mais eficaz que o sabonete.
 
            O sabão azul e branco já tem 150 anos e continua a vender 6 mil toneladas.
            É quase uma história de sobrevivência. Resistiu aos detergentes em pó, líquidos, em gel e em pastilhas. Assistiu à extinção dos velhos tanques de pedra e perdurou além dos glutões. Discreto por natureza, quase nunca publicitado, o sabão azul e branco acaba de ganhar um novo fôlego. 

            O produto é tradicional, mas continua a vender. A Sovena, empresa da Nutrinveste conservada pelo grupo Jorge de Mello, fabricou seis mil toneladas de sabão azul e branco em 2008, que se traduziram em vendas de seis milhões de euros. Dois terços do fabrico é para exportação, sendo Angola o principal destino. Para o mercado nacional, foram canalizadas duas mil toneladas. A empresa fabrica ainda sabão azul e branco de marca própria para a cadeia alemã Lidl.
 
            As pesquisas foram feitas num universo de língua portuguesa e inglesa.
No caso de indivíduos com reacções alérgicas a detergentes há referências do uso de Sabão Azul e Branco com sucesso, evitando assim reacções dermatológicas.
 
            É verdade que o sabão azul e branco é grosseiro, mas há que admitir que é francamente melhor para a pele do que um vulgar sabonete! Temos que admitir isso não é verdade?
 
PROF. KIBER SITHERC
 

 

 

 

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 00:33
Tags:

Só temos uma vida, por isso, teremos que vivê-la intensamente de uma maneira agradável e positiva. Faça tudo o que estiver ao seu alcance, antes que seja demasiado tarde! Pensamento Positivo! kiber-sitherc@sapo.pt

contador gratis
Interactividade
Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

17
19

21
22
23
25
26
27

28
29
30


pesquisar
 
blogs SAPO