Método Kiber

Janeiro 22 2010

 

            Sócrates com toda a humildade e abnegação, tomou a taça de cicuta e expirou. Maria Stuart, vestiu-se com todo o seu esplendor e caminhou sem hesitar para o cepo, e nas mãos do carrasco de Londres foi decapitada. Jesus levando a sua cruz pela estrada da amargura chegou ao calvário para se crucificar. Porque será que ao longo da história, tantos aceitaram o caminho do cadafalso?! Porque aceitaram o inevitável. Quando se aceita o que não podemos mudar já não há resistência nem pressão. Temos que aceitar aquilo que não podemos controlar nem tão pouco mudar.
            Conheci uma senhora que nunca aceitou a morte da filha, o quarto continuava arrumado com se a filha estivesse viva, quando punha a mesa reservava-lhe sempre um prato com o seu talher, na esperança que ela voltasse.    
            O pensamento positivo não é de viver na ilusão, mas sim de aceitar a situação presente apesar de ser dolorosa. Há coisas que temos que aceitar. Quando chove o que temos que fazer é deixar chover.
            Alego que devemos de aceitar o que não pode ser alterado. Trata-se da psicologia da aceitação do inevitável. É uma questão de aceitarmos as coisas tal como se nos apresentam, dado que não pode ser de outra maneira. Há tantas circunstâncias e acontecimentos na vida que nem podem ser compreendidas nem mudadas. Porque, é só através da aceitação que podemos transcender as dificuldades inevitáveis e as tragédias que de outra maneira nos afundariam. Sejamos realistas, devemos submeter-nos à aceitação daquilo que não pode ser mudado, porque essa é a única via para se encontrar paz de espírito num mundo em perfeita convulsão.     
Aceite a realidade se foi rejeitado numa entrevista de um emprego, ou se foi abandonado pela pessoa amada, ou se tragicamente perdeu um ente querido. Aprenda a ser invulnerável, porque tudo é possível que aconteça, a vida não é só composta de coisas boas, as más também fazem parte da vida. 
            Estarei a advogar que devemos curvar-nos a todas as calamidades que nos atormentam? Não. Isso seria mesmo fatalismo. Enquanto existir uma oportunidade de salvaguarda numa determinada situação, devemos agir! Mas quando o bom senso nos disser que estamos a erguer-nos contra o inevitável – e não pode ser de outro modo – então, para salvaguardarmos a paz de espírito, aceitamos a realidade seja ela qual for, assim obtemos a mente tranquila.
            Quando cooperamos com o inevitável, vivemos existências singulares livres de preocupações. Se não tivermos agido dessa maneira, a tensão leva-nos à destruição.
            Quando deixamos de lutar contra o inevitável, libertamos energia que nos permite criar uma vida mais rica. Nenhuma pessoa possui a emoção e vigor suficientes para lutar contra o inevitável e, ao mesmo tempo, conservar a energia necessária para criar uma vida nova. Escolha uma das duas coisas: curvar-se ante as inevitáveis tempestades da existência - ou lutar contra elas, destruindo-se
Aceitar a realidade implica três grandes passos:
1) - Admitir que a situação existe e que todas as condições estão reunidas para que ela exista;
2) - Admitir que a situação existente vai contra os seus desejos e que isso o desagrada bastante;
3)      - Reflectir se poderá mudar a situação. Se for possível altere a situação: indo do pior para o melhor. 
 
PROF. KIBER SITHERC
 
kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 19:39

Só temos uma vida, por isso, teremos que vivê-la intensamente de uma maneira agradável e positiva. Faça tudo o que estiver ao seu alcance, antes que seja demasiado tarde! Pensamento Positivo! kiber-sitherc@sapo.pt

contador gratis
Interactividade
Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

13
14
16

17
23

25
27
28
30

31


pesquisar
 
blogs SAPO