Método Kiber

Janeiro 12 2010

 

            A confusão mental é a causa de muitas preocupações; é como se depara-se perante uma encruzilhada e não soubesse que caminho a tomar: os objectivos canalizam-se em direcções diferentes e duvidosos, a mente dispersa-se, bloqueia-se e torna-se confusa.
            Lembre-se que no estado inquietante, somos mais emotivos que racionais, por isso, quando estamos preocupados, as emoções prevalecem ao de cima, e a nossa capacidade de raciocinar diminui. Ao analisar o caso de uma maneira objectiva e imparcial, as inquietações dissolvem-se à luz da razão.
            A maior parte das preocupações existente é causada por pessoas que procuram tomar decisões, por vezes precipitadas, antes de ter conhecimento suficiente em que basear uma decisão.
            Quando centralizamos apenas um objectivo, conseguimos alcançá-lo mais rápido e eficazmente; diferente se pretendermos atingir muitas funções ao mesmo tempo.
            Um problema que entre na mente, poderá dispersar-se, enraizar-se e criar ervas daninhas; a melhor forma é usar o raciocínio e a lógica para se livrar do problema inquietante. Escreva o problema ou a preocupação num papel com toda a precisão, certifique-se de que os factos são imparciais, claros e objectivos. Kettering dizia: “Um problema bem definido, é um problema meio resolvido”.       
Torna-se mais fácil analisar os factos e seleccioná-los se eles forem escritos com todo o rigor e precisão, desta maneira evitará que eles andem à tona a incomodá-lo. O simples processo de os mencionar numa folha de papel ajuda muito para que as preocupações se dissipem à luz do conhecimento.
            Vejamos os três passos para resolver qualquer problema que o preocupa:
 
            1º - Escreva a origem do seu problema.
            Obtenha as causas das suas dúvidas de uma maneira precisa. Sem o apuramento dos factos, andamos inquietos e confusos.
 
            2º - Analise todas as causas do problema que o aflige.
            Analise tudo friamente, racionalmente, livre de qualquer emoção. Experimente abreviar as palavras para não se dispersar. Seja imparcial, finja que é um advogado julgando os prós e os contra, o que conseguirá beneficiar e o que poderá prejudicar. Será necessário por vezes dividir a frase, quando se apresentam várias dúvidas; visto indicar vários problemas: “dividir para vencer” é um pensamento que ajuda muito.
 
            3º - Tome uma decisão.                   
            Procure a imparcialidade e evite uma opinião pré-concebida, se tiver já uma ideia enraizada não poderá separar os factos e influenciará a sua compreensão para um novo discernimento.
 
Método das vantagens e desvantagens. É um dos métodos mais simples e eficazes para sair da dúvida e da confusão mental. Escreva numa folha vantagens e na outra desvantagem. Exemplo: “Devo mudar de casa?” Então enumere todas as vantagens que poderão proporcionar essa mudança: a distância do trabalho, o preço da casa, a localização, o espaço, etc. Depois na outra folha escreva as desvantagens. No fim observe e compare as duas folhas e veja a predominância das vantagens e desvantagens e assim chegará a um objectivo bem definido e toda a dúvida se extinguirá. Lembre-se, que em tudo na vida há sempre vantagens e desvantagens.  
         Se dedicar o seu tempo a estudar o caso de uma maneira objectiva e imparcial, as suas preocupações dissipam-se à luz do conhecimento.
 
PROF. KIBER SITHERC

 

 

 

kiber-sitherc@sapo.pt
publicado por professorkibersitherc às 21:12

Só temos uma vida, por isso, teremos que vivê-la intensamente de uma maneira agradável e positiva. Faça tudo o que estiver ao seu alcance, antes que seja demasiado tarde! Pensamento Positivo! kiber-sitherc@sapo.pt

contador gratis
Interactividade
Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

13
14
16

17
23

25
27
28
30

31


pesquisar
 
blogs SAPO